A CRUELDADE QUASE INVISÍVEL DA REFORMA PREVIDENCIÁRIA

Um dos pontos mais cruéis da reforma é a nova fórmula do cálculo do benefício: a fórmula não mais excluirá as 20% menores contribuições do cálculo (como é hoje) e terá como regra uma base de apenas 60% do benefício para 20 anos de contribuição mais 2% por ano excedente (a integralidade é só com … Continue lendo A CRUELDADE QUASE INVISÍVEL DA REFORMA PREVIDENCIÁRIA

Os limites estruturais e o fim da bonança externa: por que a estrutura produtiva importa?

O cenário internacional da década de 2000, que conjugou baixa taxa de juros nos Estados Unidos com forte elevação dos preços das commodities em paralelo a ampliação da demanda chinesa pelas exportações brasileiras, permitiu que a nossa economia, em uma rara janela de oportunidades em termos de relaxamento da restrição externa, melhorasse seu saldo comercial, … Continue lendo Os limites estruturais e o fim da bonança externa: por que a estrutura produtiva importa?

De Krugman a Michael Roberts, todos contra a MMT?

Os ataques recentes que a MMT vem recebendo em todo mundo só provam que ela tem um enorme poder de tensionar o sistema. Políticos como o Senador Bernie Sanders, que tem a possibilidade concreta de ser o candidato dos democratas à presidência dos EUA nas próximas eleições, é um dos adeptos da MMT. Alexandria Ocasio-Cortez, … Continue lendo De Krugman a Michael Roberts, todos contra a MMT?

Sobre as propostas de reforma da previdência em circulação na mídia e no Congresso

1. Texto em tramitação no Congresso – PEC 287 Idade mínima: 65 p/ homens e 62 p/ mulheresNão cria capitalizaçãoNão desvincula piso do salário mínimoTempo de transição p/ idade mínima: 19 anos Idade mínima de partida: 55 p/ homens e 53 p/ mulheres 25 anos de contribuição (mínimo) Benefício: 70% + 1,5% a.a até 30. … Continue lendo Sobre as propostas de reforma da previdência em circulação na mídia e no Congresso

As múltiplas faces do neoliberalismo periférico: abertura comercial, liberalização financeira e regressão estrutural – Parte I

Nas últimas semanas, a Alemanha anunciou que vai intensificar os esforços para proteger setores importantes de aquisições e da concorrência de estrangeiros, enquanto buscará combater o que classificou de crescente protecionismo de EUA e China. Além disso, dos EUA à França, vários líderes políticos prometem proteger suas economias, revertendo o processo de abertura comercial, com … Continue lendo As múltiplas faces do neoliberalismo periférico: abertura comercial, liberalização financeira e regressão estrutural – Parte I